quarta-feira, 18 de julho de 2012

Bolsa Protusa - Trabalho de Parto Prematuro

21 de Outubro de 2011 - Acordei com minha mãe me chamando, novamente ela disse para eu e o Rafa ir morar um tempo lá, e ela falou que meu irmão também disse que por ele tudo bem se fosse preciso até que nós nos estabilizássemos financeiramente de novo. Levantei para levar minha mãe e meu sobrinho até o portão e aproveitei para ir ao banheiro, foi questão de cinco minutos. Por 3 segundos senti uma sensação estranha na vagina onde me parecia que a cabeça da bebê estava raspando no canal vaginal e logo desapareceu esta sensação.  Fui tomar café (fiquei sentada uns 10 minutos) e logo voltei a deitar, quando pensei em levantar (mas ainda deitada), senti algo descendo pela vagina, neste momento minha respiração já começou a ser mais forte...peguei um espelhinho e quando olhei havia algo estranho e transparente como um dedo de luva fazendo pressão pra sair e ao tocar na vagina vi sair um leve liquido vermelho...Liguei desesperadamente para o meu irmão e pedi pra ele avisar a minha mãe e assim  ela vir me socorrer. A principio eu não liguei pro Rafa para não preocupá-lo e corri para vestir uma roupa e ir ao hospital, quando fui tentar sair de casa percebi que a pressão na vagina e a sensação de que algo estava saindo era ainda mais forte, mas não senti dores, nem contrações, nada...Não consegui mais andar, com receio de ao abrir um pouquinho as pernas a minha filha escorrer entre minhas pernas e precisei ser carregada até o carro tamanho era meu congelamento dado a situação. Meu cunhando correu como um louco para chegar o quanto antes no hospital e minha mãe perguntou se eu agüentava chegar no hospital do meu convenio ou se eu iria para o Campo Limpo que era mais perto. Fomos ao campo limpo e lá fui atendida imediatamente e logo a médica informou a enfermeira e minha mãe: “A bolsa esta protusa, já esta no canal vaginal com dilatação de 3cm, avise ao pessoal da ultrassom, quero uma ultra urgente dela”. “Querida você será internada pois seu bebe vai nascer a qualquer momento, retire seus brincos, pulseira, aliança, sua roupa pois a levaremos ao centro obstétrico.”
“O que? Como assim? Mas eu estou com 21 semanas, isto é, 5 meses, o que esta acontecendo? A Isabella não pode nascer agora! Porque que ela vai nascer agora? Eu to de 5 meses...” Eu estava entre um furacão de pensamentos e os médicos não me falavam muita coisa e nem o motivo de ter acontecido aquilo comigo. Enquanto a enfermeira e minha mãe empurrava a maca para dentro do elevador minha mãe dizia: “Eliane você precisa ficar calma, a Isabella quer nascer agora, deixa ela nascer. Se ela tiver de nascer não há o quer fazer”...Meu rosto estava banhado de lagrimas e já chamei a Deus na “urgência” pra me ajudar, me livrar e livrar minha filha...Não conseguia orar intimamente eu só conseguia repetir um nome: Deus, Deus, Deus, Deus...E nesse momento me veio uma canção:
 “Não Temas! Agindo Eu quem impedirá? Quando andares pelas águas não te afogaras, e quando pelo fogo não te queimarás. Não temas! Sou contigo! Agindo Eu, quem impedirá?”
Quem conhece essa canção sabe que ela tem uma melodia bem alegre e é cantada de maneira agitadinha e nessa hora rapidinho  dialoguei com Deus: “Ahhh Deus! Num momento desse o Espírito Santo estar me trazendo a memória uma musica alegre quando estou triste,  é porque tem que ter um propósito. O senhor me livrará, né?! Porque sinceramente Senhor eu esperava cantar no meu coração uma canção bemmm triste pra expressar meus sentimentos, do tipo “e ainda se vier noites traiçoeiras”....”
Imagina essa minha conversa com o Pai, foi um papo reto ali com Deus que hoje quando me lembro de falar com ele sobre a musica noites traiçoeiras até dou risada..Deus, como sou dramática..rsrs.  e tudo isso num intervalo de tempo de me colocarem dentro do elevador e sair do elevador pra ir a sala da ultra..Eu tava amedrontada demais pela situação porque não cabia na minha cabeça que eu ia ter a bebê naquele dia, daquele jeito. E só Deus poderia intervir nisso (isso na minha concepção)...
Enquanto eu aguardava o resultado da Ultra, meu esposo chegou e me deu todo apoio buscando me acalmar e uma moça que também estava aguardando a ultra me disse que havia uma médica ótima no hospital – Dr. Bella, e se eu pegasse ela, seria bem cuidada. Meu esposo até brincou comigo dizendo que a Dr. Bella faria o parto de nossa Isabella, mas não funcionou muito..chorei mais ainda!
Com a ultra foi confirmada: Protusão da bolsa, abortamento em curso.
Como assim abortamento em curso? Meu médico me disse que  aborto era até o 3 meses, minha gravidez estava indo bem, a bebê esta toda formada, como pode ser um aborto?..Pensei...
Uma bruxa de médica com a ultra na mão pediu para conversar comigo e meu namorido e disse que eu ficaria no C.O. até que a bebê nascesse e que esta situação não se estenderia mais de três dias,  e de maneira bem fria disse que assim que a bebe nascesse, ela morreria.
Quem ela pensava que era? Porta voz de Deus pra me dar até tantos dias?Que diagnostico absurdo era esse? Meu esposo perguntou o que ocorreu já que eu tinha feito ultra na segunda-feira e estava bem e ela nada informou além de dizer que a bolsa estava no canal vaginal e que era fato de que dentro de 3 dias a bebe nasceria.
Ao me despedir do meu esposo não conseguia soltar a mão dele, não queria ficar ali sem ele, ele foi empurrando a maca para dentro do C.O. e eu apertando a mão dele, como quem diz: não me deixe aqui...Choro ao escrever isso, só de lembrar dói na alma...
Dentro do C.O. fiquei bem quietinha, nem me mexia, e lá me informaram que eu não podia me sentar nem para beber água, as refeições seriam feitas comigo deitada, e pra fazer o n° 1 e n° 2 seria numa comadre (no dito popular pinico, rsrs). Lá, eu não chorei e mal me movia. Na passagem de plantão eu observava os médicos e enfermeiros passando cada caso e quando chegava em mim eles diziam: “Paciente de 20 semanas e 5 dias, primeira gestação, bolsa protusa com 3 de dilatação.” Ao que o outro médico e/ou enfermeiro respondia: “Bolsa protusa? Aiii...repouso absoluto né? Não tem muito o que fazer”...
Nem parecia que eu estava ali, porque eles falavam de um jeito.. E que diacho que queria dizer essa bolsa protusa, porque disso?
Passei a noite e madrugada inteira olhando aquele relógio na parede do pré parto e ouvindo aqueles gritos assustadores das mulheres ganhando seus bebês. Foi horrível...
Na manhã de sábado uma nova troca de plantão e com ele uma médica - Dr. Francine – que repete as mesmas palavras frias da Dr. Thais que me deu até tantos dias para o trabalho de parto prematuro ser concluído e a bebe vir a morrer. Sei que elas queriam me orientar no sentido de eu não esperar cheia de expectativa, pois talvez tiveram experiências com pacientes nestas condições e que não teve êxito, mas existe maneiras de se falar isso, ainda mais quando a paciente esta fragilizada. Vocês devem conhecer aquele dito “a Esperança é a ultima que morre”, no meu caso a esperança é a única que fica mediante a todas as contradições, afinal meu Jesus vive! Ele é a minha esperança o qual venceu a morte! Com ele do meu lado, e mesmo com medo, pois eu sentia medo, eu não ia desistir! Nem dei atenção as palavras da Dra Francine e procurei me manter firme na canção que Deus me trouxe à lembrança “Agindo Eu, quem impedira?”.

8 comentários:

  1. Quanta coisa vc passou,me emocionei lendo viu...com fé em Deus logo vc terá seu milagre nos braços!Bjs

    ResponderExcluir
  2. entendo bem o que vc sentiu perdi minha pequena Agata as 19 semanas de gestaçao,e qndo li sua historia revivi a minha foi exatamente do mesmo jeito agora estou esperando os 30 dias para começar meu tratamento e esperar o nosso Deus de milagres me abençoar novamente.que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  3. oi ...perdi 2 anjinhos assim também...o João Vitor & João Henrique faz 5 meses sem meus pequenos e sofro muito ainda..

    ResponderExcluir
  4. minha historia foi dessa forma sem tirar esem botar acho k vc usou as minhas palavras..

    ResponderExcluir
  5. hoje meu bb faz um aninho k se foi com 25 semanas

    ResponderExcluir
  6. Tbm passei por isso, depois de ficar dez dias sem poder levantar pra nada nem pra tomar banho meu corpo comecou a rejeitar minha bolsa tremi a noite toda de febre como nao tenho filho os medico ficou com medo de deixa a bolsa e eu perder o utero no dia seguinte cheguei aos 41 graus e os medicos resolveram induzir meu parto depois de ficar hrs tentando controla minha febre enfim fui pra sala de parto e tive meu anjinho Maria Izabella no dia seguinte ela teve duas parada cardio respiratoria e veio a obito.

    ResponderExcluir
  7. Comigo aconteceu o mesmo, só teve uma diferenca, senti muita dor... entrei em trabalho de parto ela nasceu mas morreu no mesmo dia. Boa sorte p nós, bjinhos...

    ResponderExcluir
  8. Mas como foi o fim da história deu certo sua filha ?? Como estão ?? Estou na mesma situação que a sua com bolsa protusa

    ResponderExcluir

Oiê, ao deixar sua mensagem coloque o endereço do seu blog, assim poderei lhe fazer uma visitinha =).
Beijos com asas,
Ely