domingo, 11 de dezembro de 2016

#73 de 102 da minha 'lista de coisas que quero viver': Ir ao programa do Jo. (E dar um beijo no gordo!!!)

Ha cerca de um mês atrás a Jacqueline Pereira Maciel postou uma foto em que ela estava no programa do Jo. Comentei freneticamente e, não obstante, liguei quase que no mesmo instante para ela, mesmo passando das 22 horas. Eu precisava saber como ela conseguiu ir ao programa, enquanto eu deixara a vontade esmorecer ha anos atras, depois de muito ligar para a produção na tentativa de conseguir reservar lugar...Então que, contei para ela sobre a minha lista, escrita em 2014, onde registrei meu desejo de conhecer o Jô.
Eu sou admiradora do Jô desde os 14 anos e, embora seja ele a unica pessoa publica que cito na minha lista, não imaginei que de fato pudesse acontecer. É que não me dou para publicações de artistas - salvo caso de cruzar com a Xuxa ou com o próprio Jô novamente...
Dai a 'madrinha' Jacqueline Pereira Maciel conversou com a Lidiane Carvalho que trabalha na produção do Jo (como eu não soube antes?) e por meio delas (nunca saberei agradecer meninas), eu pude realizar o meu sonho de ver o Jo, e de modo especial de falar com ele, abraça-lo.
A historia da lista daria um post a parte, concomitante do aprendizado que tive desde a perda da Isabella e apos o nascimento da Giovanna. Foi a transição do que eu era para o que tenho desenvolvido ser, que me levou a elencar os 102 itens, que vai desde as grandes realizações até as coisas mais simples, que eu chamo de 'pequenas porções' de alegria, satisfação, amor...Tudo o que nos fizer bem.
Mas, o que o Jô tem a ver com isso? Bem, ele me inspirou fortemente nas discussões de ideias dos mais variados temas, especialmente no que se refere a manifestação de ideias, sobretudo por admira-lo pelo seu incrível talento como apresentador, jornalista, além do seu notável e inteligentíssimo bom humor.
E conhece-lo em véspera de encerramento do seu programa na globo, tornou tudo mais especial. Veja bem, não fosse a Lidi, eu jamais teria essa oportunidade.
Me perguntaram o que eu ganhei com isso, ao que respondi:
"Pequenas porções de alegria", bochechas doloridas por sorrir mesmo quando a entrevista não pedia nossos sorrisos, pelo simples fato de estar ali, vendo aquele senhor de 78 anos, que tanto me influenciou positivamente, entrevistando pessoas, até então acompanhando-o pela tela do meu televisor e agora estava ali diante de mim, o mais educado, gentil e bem humorado possivel. Enquanto eu o admirava bem de pertinho, com vista privilegiada, melhor do que imaginei.
Escandalosa e estabana que sou, obviamente que dei uma bola fora: "Jo te amooooomuiitoooooo" "Também te amo, esteja você onde estiver" disse ele - ja em gravação.
E no final, a Lidi ainda fez uma ponte que me gerou uma lembrança para toda uma vida: colocou-me frente a frente com ele, que eu admiro muito, tendo ainda a possibilidade de trocar algumas palavras com ele.
Imagine você que eu estava cansada do tempo que estava lá..Eu, 29 anos..sentada o tempo todo. Imagine ele com seus 78 anos?!
Mesmo assim, se dirigiu a mim com bom humor, atenção, me permitiu falar, abraçou-me tempo suficiente para saciar a vontade, e com tranquilidade permitiu o registro em fotos.
"Ah mas não vai chorar né? Senão eu não tiro a foto" Disse em tom de brincadeira..."Ja fazem 3 dias que eu não tomo banho e você ainda quer tirar foto comigo..."
Eu chorei...E não por frivolidade, mas pelo resgate da simplicidade de certos momentos que todos precisamos viver. Pequenas porções...
Por fim, ele ainda agradeceu o carinho de forma muito humilde e nos despedimos ali.
E nessa simplicidade percebo na vida uma certa poesia. Oras de tempestades, oras calmaria. Nas tempestades descobrimos que todo apanhado da vida, mais simples que seja: o sorrido de uma criança, uma tarde com a família, o encontro com os amigos, o descanso de domingo jogada na cama com o marido e a filha, ou simples abraço entre o fã e o ídolo, são impulsionadores para a felicidade. Geram a base para a construção de sonhos e planos muito maiores e desafiadores.
E pra quem me acompanha pelo blog, considere esse item riscado: foram DOIS BEIJOS NO GORDO.
E ao Jo Soares, farei como disse: Darei o jeito for preciso para que o livro chegue até você. Amo-te muito.
Sucesso na nova empreitada!!!Daqui te acompanho, torcendo por ti.


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

O amor vencera

Há 5 anos atrás eu acordava de um sonho lindo. 05/11/2011. Sequenciado na mesma dinâmica do calendário em 2016, de domingo a domingo,  forjando uma  espada pontiaguda em forma de flashes com cada momento,  bem junto ao meu coração. Era o meu sonho perfeito agora feito quimera.
"Por favor, volte pra mim! Por favor, volte pra mim! Volta pra mim..." 
Supliquei desesperadamente mesmo quando a vi tão linda, porém ja sem o folego da vida, ignorando o que a médica dizia. Ela, branquinha como seu papito, de pele macia feito uma rosa e com a figura calma, como quem dorme um sono tranquilo, enquanto eu estava convalescida sobre aquela mesa cirúrgica simplesmente desacreditada que aquele perfeito ser crescera dentro de mim, em forma e figura tão cheia de ternura, me possibilitando experimentar da melhor experiencia de toda minha vida e agora partia sem mim, deixando o meu coração tão vazio  quanto o meu ventre. 
Depois de tanta luta aquilo parecia tão cruel.
Mas a vontade de Deus é imperativa, e o dom da vida Sua dádiva e plano perfeito, em toda e qualquer circunstância! 
"Esta no colo de Deus. Meu anjo com asas. " - Costumo de dizer.
Mesmo aceitando e agradecendo por saber que a vontade de Deus foi essa e que muitas bençãos aconteceram desde então, não se pode fugir da dor. Por que saudade dói demais. Não é uma dor como as outras. Não é revolta. Questionamento. E nem tristeza. Apenas dor de saudade. 
E só se tem saudade se existir amor, mas aquele amor genuíno, que transpõe a vida, fazendo morada no infinito.

Vivi essa experiencia (como ainda vivo) com Deus. E não foi fácil. Briguei com Deus, questionei os Seus porquês e mesmo sem as respostas que eu esperava ouvir, foi em Seu colo que fui consolada. Ele me pediu apenas que eu confiasse nEle, mesmo sem entender.

"Eu só confio em Ti. Não tenho mais nada além de Tí. Ajude a minha fé pra que eu faça tudo o que me disser".

Eu não tinha a menor capacidade de permanecer. Mas Ele mudou a minha historia.  Ele teve (como ainda tem) uma paciência danada comigo.
E por confiar, entregar, descansar, Ele fez de uma tragédia destruidora um agente de transformação para muitas vidinhas que nasceram de lá pra cá inspiradas por Ele mesmo a partir da força da minha nova historia, e assim vi muitas famílias crescer.
Manifestou Sua promessa e foi além: Me fez viver o MILAGRE DA PROMESSA.

5 anos depois e eu estou frequentemente aprendendo a conviver com isso, pois embora eu vivenciei o milagre da promessa pela Giovanna, Deus quer me ensinar por meio da Isabella e de testemunhos recentes de mães que perderam seus filhos que as vezes o milagre do jeito que queremos e quando queremos não é permitido, mas nós que ficamos nos tornamos o milagre, como a Eyshila tanto tem nos ensinado com seu testemunho.

Hoje, o milagre sou eu. 
O milagre sou eu que  cheguei a pisar na beira do precipito da depressão. Tão real quanto eu jamais poderia imaginar se não tivesse experimentando.
O milagre sou eu que perdi num único período, emprego, casa, tcc da faculdade em curso, quase que meu recém casamento. Devo esta inspiração de Deus pela minha irmã que me fazia levantar da cama depois de mais de 14 horas dormindo, para ao telefone, me trazer uma palavra de Deus e me dizendo: você precisa lutar!
O milagre sou eu que superei cada consulta e exames mal sucedida, dolorosos, invasivos e desesperançosos. 
O milagre sou eu que vi os amigos se esvaziando da minha casa, quando antes em todos os sábados estavam todos ali enquanto tudo era só felicidade.
O milagre sou eu, que descobri o valor dos verdadeiros amigos que ficaram e que me sustentaram, e aqui pra não esquecer de nenhum, prefiro acreditar que todos saberão quão valoroso são.
O milagre sou eu porque em tantos percursos num espaço tão curto de 2 anos, Deus não desistiu de mim assim como eu não desisti dos planos de Deus para as nossas vidas.

Se você não perdeu um filho...Tenha mais sensibilidade ao falar uma mãe de anjo.
Você pode não ver o filho ao lado dela mas ela continua sendo sua mãe.  O registro de nascimento, natimorto ou a força da vida que nasceu em seu ventre esta ali para jamais ser contestado que existe uma vida. Quer esteja no meio de nós, quer não. Voltaremos todos para Deus e um dia a saudade terá uma virgula para acolher com alegria o futuro que Deus nos reserva, quando o nosso dia chegar.
Por mais que você tente, não há consolo fora de Deus  para uma mãe enlutada.
Não há aumento e diminuição da dor da perda, se quem se vai ainda estava no ventre, no colo de uma mãe,  já crescido, estudante, num jovem coração sonhador  ou num adulto. E não há um dia em que não os tenhamos na memória, ou que deixemos de alguma forma dar referência a eles. 
Pois seremos sempre sua mamãe.

Essa já não é mais uma mensagem sobre a Isabella, como nos outros anos, mas sobre o bem maior, a esperança e um amor que fez duas pessoas se tornarem quatro, Rafael, Eliane, Isabella, Giovanna. E do quanto temos aprendido sobre nós mesmos, do exercício continuo de superação dos fatos, em ter empatia pelos outros, e sobretudo sobre o agir de Deus.

E pra minha  menina, feita de amor:  Te amarei pra toda eternidade. Esse amor será em todo tempo nosso. Pra sempre...e sempre...e sempre.
Hoje trago além da saudade imensa, a gratidão pela dádiva de Deus em gerar uma anjinha com asas e uma bambina que deixa a mamãe louquinha da vida com suas peripécias de sapequice amor <3
Porque no final seja lá o que for, se firmado em Deus, o amor vencerá.



Beijos com asas
Mamãe 

sexta-feira, 27 de maio de 2016

O que move seu coração?


A quem diga que a utilidade da dor ou dá descoberta de algo que nos preocupa, nos aflige é de apenas ferir a quem o sente. De certo quem pensa assim se fecha as possibilidades que esse sentir nos permite vivenciar, o quão poderoso pode ser o efeito em nossa mente e coração, transformando a nós mesmos em pessoas melhores, nos tornando resilientes além de nos permitir por pura gratuidade e amor a sermos agentes transformadores muitas vezes sobre a mesma experiencia que por um minuto, alguns dias, ou um tempo afligiu nosso coração.

Aprendemos a devolver ao mundo de um jeito mais belo, transformador e muito mas muuuuito nobre - como tudo que nasce do amor.
Hoje vi uma mensagem mto legal de deixar meus olhos marejados..(Olha que isso aqui tem sido caso raro, pasme!)rs
Eu vejo por minha própria historia que nada é em vão. Nada é desperdiçado na vida. Isso depende mais de nós mesmo que das pessoas ao nossos redor. São decisões que nascem do interior para o exterior.
Bem...
Podem contribuir da forma que puderem. Ou se não puderem espalhem como essa flor dente-de-leão (ou da esperança).

Passe lá:


Beijos com asas

(E volte mais vezes, pois voltei de vez!rs)


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Violência Obstétrica é Crime!

Ei Amoras!!!

Saudades!!!
Passei rapidinho para contar que recebi o convite da REVISTA ÉPOCA para partilhar um trecho da historia da minha primeira gestação (do meu anjo Isabella), associado ao trabalho de PARTO DESUMANO que me submeteram.
Existe inúmeros jeitos de sofrermos VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA, seja ela por meio de PROCEDIMENTOS INCORRETOS, NEGLIGÊNCIA no atendimento, recusa no DIREITO de ter um acompanhante no momento do PARTO bem como no ESCLARECIMENTO PRÉVIO À FAMÍLIA DA GESTANTE antes de adotar qualquer procedimento invasivo e que implique expressivamente na vida da gestante e bebê, ou PALAVRAS OFENSIVAS o que é desumano num momento tão especial que deveria apenas contemplar tudo o que diz respeito a Vida, principalmente nos casos de gestação de alto risco.
Com tudo o que me ocorreu, Deus me sustentou para estar aqui viva contando a historia e gritando ao mundo inteiro por um parto com respeito, o que é direito de todas!
‪#‎Denuncie‬ ‪#‎Partilhe‬ sua história ‪#‎Faça‬ a Diferença
‪#‎Parto‬ com respeito




Matéria: Revista Época - Violência Obstétrica