segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Pós parto...Conversando Com Deus

Eu dormi apos toda essa loucura e perda do meu anjo, mas tive a impressão de que  alguém estava do meu lado, não parecia um sonho, ela me olhava, não me dizia nada mas ela estava ali. Era uma mãe, aquela a quem lá num T.L.C onde fui servir e ja estava  gravida consagrei a Isabella, pensei ser nossa  senhora, não estava como uma santa no altar, não tinha na cabeça uma coroa, estava normal, não vi realmente sua figura perfeita em traços, senti ela ali, sonho ou não, pra mim foi bem real. Mas eu também não disse nada, não me esforcei em dizer nada.
Ao acordar ainda não sentia minhas pernas por causa da anestesia. Abriu-se a porta do pré parto e duas queridas enfermeira entraram, aquelas que sempre cuidavam de mim com carinho, com um banho no leito de caneca rsrs, me traziam escondido um chocolatinho, brincavam comigo e com a bebe dizendo que iriamos ceiar o natal juntas...Infelizmente não iria acontecer isso, meu sentimento de tristeza e a dor me cegou naquele momento de modo que não me permitiu sentir que Deus estava ali do meu lado, quando na verdade ele envio mãos humanos, corações amigos através dessas duas enfermeiras que descerem do 7 andar até o 3 só pra me ver e pedir por minha liberação pra que elas cuidassem de mim...Acho que Deus me consolou quando não havia consolo através daquelas duas enfermeiras. Quando vi seus rostos na fresta da porta e elas vieram ao meu encontro apertando minhas mão, foi como se tivessem me dado realmente permissão para chorar, pra chorar alto sabe, sair daquele choro sofrido abafado, uma delas me deu um beijo na testa enquanto a outra com lagrimas nos olhos segurava minhas mãos, chamaram uma médica para conversar pedindo para que ela me liberasse pra subir para o quarto, a médica disse que ainda não havia me liberado pois eu estava em observação por conta da curetagem, mas as meninas falaram que elas observariam e que qualquer queixa de minha parte elas relatariam e se preciso me desciam para o C.O. novamente. Logo as meninas me falaram que não havia nenhum quarto vago de gestante, apenas de puerpera, então perguntaram se eu me incomodaria de dividir por enquanto um quarto com um mamãe e um bebê.   "Lógico que me importo" pensei..Mas minha resposta foi diferente: "Tudo bem, vou ter que aprender a conviver com isso, não é?"  Eliane, talvez seja só hoje, ou só algumas horas, é só o tempo de vagar o quarto, mas se você quiser aguardar aqui embaixo..." Não!!! Era tudo o que eu menos queria, ficar ouvindo gritos das mulheres tendo seu bebe e os choros dos bebes que acabara de nascer..Doia demais, tamanha era minha frustação por ouvir o choro de inumeras crianças vindo ao mundo menos o da minha tão esperada Bellinha.
Assim elas me subiram, eu chorando já quietinha de novo, uma das enfermeiras segurando minha mão com lagrimas nos olhos  e a outra enfermeira empurrando a maca. Já no quarto vejo uma mamãe com uma menininha no colo, não reparei muito naquele primeiro momento, eu estava apenas pensando no meu esposo, a enfermeira me emprestou o celular pra ligar para ele, e em menos de 10 minutos ali estavamos, eu e ele abraçados, eu chorando, sem falar nada do que realmente havia ocorrido, e ele com lagrimas nos olhos, mas "aparentemente" mais forte que eu. Estava com meu namorido o nosso amigo Alan, que não me disse nada além de um abraço e um olhar que enxerga fundo lá no coração mesmo, ainda me lembro esse olhar consolador...Amigos  são assim - falam conosco com um simples olhar...Meu esposo mencionou que precisava ir até o Hospital das Clinicas onde estava o corpinho da bebe - sendo feito pericia, e que também teria de ver o velório/enterro...Foi horrivel ouvir estas palavras, é dolorido pra mim só de pensar na idéia...
Enquanto concluiamos nossa rapida conversa ouvimos os pais da bebê brincando com ela e as chamando pelo nome: "Isabela...gotosa...Vamos mamar Isabela...." E ela repetia tanto o nome dessa bebê...Oh Meu Deus...Parecia que era pra me cutucar sabe....Mas claro que não era, ela nem sabia o nome da minha bebê.
O Rafa precisava ir para ver todas essas coisas que falei, mas quando ouviu o nome da bebe que estava comigo no quarto perguntou se eu ficaria bem, se eu queria que ele ficasse um pouco até que alguem chegasse e ficasse comigo. "Não amor, pode ir eu vou ter de aprender a conviver com isso de qualquer jeito...Pode ir." E assim ele e o Alan foram embora...Após uns 30 minutos a moça pergunta onde esta meu bebê. Até então eu não tinha pronunciado essas palavras mas era inevitavel, então respondi "Ela faleceu" e ja senti as lagrimas novamente voltarem a brotar nos olhos. Acho que a moça ficou sem graça, pediu desculpas por ter perguntado e disse sentir muito pelo ocorrido...
Duas horas depois ela e sua Isabela recebeu alta, e assim pude ficar sozinha no quarto...
Era o meu momento com Deus e martelava no meu pensamento aquelas palavras do "Agindo Deus, quem impedira?..."olhei ao redor do quarto, aqueles cartazes de amamentação, foto da mãe amamentando....até que realmente me arrisquei e falei: "O que você quer que eu te diga? você sabe tudo o que ocorreu, o que posso te falar? As lagrimas corriam e corriam em minha face, o choro ja estava de silencioso para mega alto, com intervalos de soluço,  e eu continuei ali esperando uma resposta de Deus...Se era pra ser dito algo que meu choro falassem por mim, por que eu não tinha palavras pra dizer nada, ainda que eu quizesse não tinha como eu descrever meu sentimento naquele momento...Todos os tipos de pensamento vem na mente de todas as vezes que falhei como ser humano, dos erros que cometi...Seria por isso que eu estava passando por tudo aquilo? Mas porque judiar da minha bebê que era inocente de tudo, até a minha Isabella falecer ela ficou num forte sofrimento fetal quando sem liquido amniotico ela começa a sentir falta de oxigenio...Ela sofreu muito também, se era justo comigo não era justo com ela! E todos os sinais da gravidez que pensei ser advindos de Deus, porque nos fazer viver esse sonho lindo, especial e unico e nos tirar de um jeito tão cruel? Não era uma simples revolta que borbulhava dentro de mim, era um desapontamento, me apeguei a Deus com amor, sim eu reconheço que entre erros e acertos permaneci, talvez não do melhor jeito, não tão fiel,  mas tudo o que fiz era com amor, era por Ele, pra Ele. Então o que tinha dentro de mim, era desapontamento, decepção com Deus, porque confiei nEle e ele não agiu, de modo que resolvi ficar ali quietinha, esperando Sua resposta pra tudo aquilo...Enquanto fiquei quietinha, chorando (porque este choro durou umas tres horas seguidas), acredito que o Espirito Santo me trouxe a memória aquela pregação que fui fazer no lugar do Marcelo Macedo, que inclusive comentei nos primeiros post (clique aqui para ler o post Mantenho os olhos fito em Deus, que é onde esta toda minha confiança!   ) E foi dai que recebi as respostas que meu coração precisou naquele momento...Não disse a Deus mas meu coração humano pensou pra sí que já não adiantava ter em Deus a confiança, pois aguardei até o ultimo segundo para que Deus agisse, e nada...Mas recordei dessa pregação, que Deus me chamou para ir lá partilhar a palavra e percebi que lá no fundo Deus queria falar comigo e através de mim mesma...Lembrei-me fortemente do que partilhei "E quando parece que aquilo que tanto queremos ou pedimos a Deus não esta se cumprindo, não podemos simplesmente ir ter com Deus e dizer: “Olha Senhor, demorou demais” ou “Senhor o senhor não realizou aquilo que eu havia pedido, por que isso comigo? vou retomar esta confiança que coloquei em ti, pois essa o Senhor não deu conta...” Porque aquele que começa a obra em nossa vida é fiel e justo para aperfeiçoá-la, cumprir em Seu propósito!

Isso foi o suficiente para eu receber no meu coração que o que de errado eu cometi na vida Deus já havido perdoado em Cristo e que muito embora o que eu tanto pedi a Deus não foi alcançado eu não poderia pela minha decepção ir ter com Deus e pedir de volta a confiança que depositei nele...Porque isso não era culpa de Deus, e é exatamente o que o inimigo quer que eu pense, não da pra por na conta de Deus todas as maledicencias dessa terra, se Deus precisa de me fazer sofrer pra me aproximar dele, então teria algo de muito errado em volta dessa fé que tanto prego, pois a Biblia diz que Deus é amor, e não dor. Mas se isso foi permitido é porque existe um "Pra que" que lá na frente eu ia entender. Eu queria tanto que a Isabella vivesse que nem me recordei do risco de contaminação que era praticamente certo da Bellinha pegar pela infecção urinaria que eu contrai no hospital, e se ele tivesse sequela? Talvez Deus a preservou de sofrer, não sei...No presente momento eu não entendo, hoje é bom saber que Deus esteve comigo em todo tempo, me entende em todos meus pensamentos e ao recordar sobre esta pregação me senti na vontade não só de chorar para Deus, mas sim de chorar com Deus...Porque Deus se compadece com os sofrimentos dos seus e chora conosco a nossa dor, Ele também vê  adiante e cumprirá todos os Seus propósitos de amor e paz na minha vida. E ali, deixando-me ser consolada por Deus e por Cristo, cantei em meu coração os versos compostos em forma de canção feita pelo Rodrigo Negão e que recebi o convite de um dia interpretar a canção com ele e o Guga, o qual nunca imaginei que ela seria minha oração, num momento como este:

  ME LEVE ATÉ VOCÊ
"Incompreensivel aceitar o fim da vida, é impossivel tentar te esquecer. Fiz tudo o que podia para nunca te perder, quando tudo esclarecia você não conseguiu conter.
Não é mais justo aceitar o fim da vida, é um absurdo lutar pra não vencer . No silêncio eu lembro da tua vontade de viver, e nas minhas recaídas quero estar perto de você.

Não quero viver na solidão, eu preciso tanto da tua mão, quero  caminhar contigo em toda direção, sei que não pode mais estar aqui mas sinto você perto de mim, peço para Deus que um dia me leve até você"


E assim me derramei em lagrimas o resto da tarde e noite até que minha sogra chegou e me acalmou, conversou bastante comigo pois ela conhecia bem a dor já que antes do meu esposo ela também perdeu dois bebes. 

11 comentários:

  1. Você escreve de uma maneira muito docê...
    Seu blog tah lindo, e pode ter certeza querida que Deus esta sempre cuidando de ti e de todas nós tentantes e ele sempre tem algo maravilhoso reservado pra nós!
    Força e fé querida!

    ResponderExcluir
  2. Eliane, flor vim aqui retribuir sua visita ao meu blog, dizer que fico feliz em te ter por lá, tb estou te seguindo, assim poderemos manter mais contato, afinal mãezinhas de anjos se entendem né... minha linda seja muito bem vinda no cantinho da minha Malu, beijos da Thy... www.anjomalu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. É impossível não se emocional lendo sua historia consegui reviver tudo ao ler.
    É amiga novembro foi um mês muito difícil a minha anjinha Lais partiu tbem.
    Flor acredite Deus é grato por nós geramos um anjo a ele logo restituirá esse presente e te enviara outro bebe não substituirá sua Isabella mais enxera sua vida de felicidade novamente acredito que logo e eu estarei na torcida.
    Obrigado pelas palavras no meu cantinho te seguirei tbem. beijos minha linda e fique em paz.

    ResponderExcluir
  4. Eliane minha amiga, nossa como seus post mexem comigo, é incrível, vejo em vc uma luz, algo muito bom. Fico feliz que minhas singelas palavras tenha te ajudado de alguma forma, foi de coração. Com toda certeza logo logo partilharemos nossas gestações, iremos sorrir uma com a vitória da outra. Deus nos prometeu e ele cumprirá, disso não tenho dúvidas. Obrigada pelas palavras de carinho, e obrigada pelo elogio a minha Mari. Estou te acompanhando sempre. Beijocas e paz e bem :D

    ResponderExcluir
  5. Não sei como cheguei aqui no seu blog, mas me interessei primeiramente pelo nome dele "viver, amar, fazer valer a pena" que já diz tanto em tão poucas palavras.. Então fui ler seus posts, assumo que estou aqui frente ao computador a umas duas horas lendo desde o começo, vagarosamente, tudo sobre sua vida, e me peguei chorando várias vezes, sem conseguir conter o choro. Eliane, você é um exemplo de mulher, de mãe, me orgulho de você sem nem te conhecer, e eu tenho certeza que a Isabella esta orgulhosa de você la de cima, que esse anjo vai te acompanhar e trazer a você, juntamente com Deus, as respostas que você busca no fundo do seu ser... Parabéns por essa luta, por ser tão forte, infelizmente as vezes não compreendemos o que Deus tem para nós, mas saiba que o tempo dEle é diferente do nosso, e Ele te reserva algo lindo, com muita luz. Vou torcer e rezar muito para esse momento chegue logo em sua vida.

    ResponderExcluir
  6. Eliane, primeiramente agradeço a visitinha ao meu blog, e fiquei muito feliz em saber que está me seguindo.

    Entrei no seu blog e de cara amei. Comecei a ler seus posts e fui entrando em sua história de uma maneira tão intensa que foi como se te conhecesse a anos e tivesse vivido cada momento triste e até os sonhos contigo. Me emocionei, chorei e sorri lendo cada palavra.

    Nem preciso dizer que também estou te seguindo e acompanharei seu blog de coração, né?!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi querida sua história é linda e cheia de fé...que vc agora em diante..comece uma nova etapa...mesmo que seja dolorido,a biblia nos diz pra esquecer das coisas que se passaram,e eis que tudo Deus faz novo,ele fará coisa novas pra vc ta bomm florzinha...basta crer e persestir sempre na fé...bjinhos conte sempre com minhas orações...

    ResponderExcluir
  8. obrigada pela visitinha.
    olha, meu blog é privado, abri eventualmente, mas no geral eu fecho, então, se quiser me acompanhar, manda teu email.
    bjokas!

    ResponderExcluir
  9. Flor querida, que bom saber que as palavras que saíram do meu coração te fizeram bem. Quando li sua história eu sabia que teria que comentar, e as palavras foram surgindo, abri meu coração para você e confesso que quando falei sobre a relação entre vc e a Isabella senti que precisa dizer aquilo, que precisava tocar nesse assunto. Parabéns pela garra, pela força, pela vontade de viver mesmo que tudo o que vc viveu te levasse para outro caminho. Deus é contigo e não duvide disso um só segundo da sua vida. Somos mães de anjos, anjos que DEUS nos deu a honra de chamar de filhos e que mesmo estando conosco pouco tempo nos mudaram por completo. Esses anjos precisavam cumprir sua meta aqui na terra e essa meta era nós, era nos fazer mais felizes, nos devolver o sorriso no rosto, nos fazer sentir o maior dos amores, nos tornar mais humanas, nos preocupar mais com o próximo e nos fazer sentir como Maria. Sempre que quisermos vamos poder reviver esses sentimentos, é só fechar os olhos que as lembranças se carregaram disso, isso só poderá acontecer porque DEUS nos permitiu isso, nos permitiu sermos mães mesmo por pouco tempo, ou melhor, para sempre seremos mães desse anjos, pois para sempre o amor que sentimos por eles habitará nosso coração. Hoje talvez esse amor seja dividido com a dor de te-los perdido, mas logo a saudade vai tomando o lugar da dor e viver será mais fácil. Torço por você e sei que logo sua benção chegará. Beijocasss e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Olá Eliane...

    Encontrei seu blog através do da Thyara.Nós mães que sofremos com essa dor sempre nos identificamos umas com as outras.Assim como eu você passa pelo mesmo processo e aceitar é recomeçar a cada dia.
    Viver sem ter,sem ver sem tocar é simplesmente avassalador.DEUS está no comando e com esse pensamento eu prossigo.
    Muito verdadeiro o seu blog,suas palavras me tocaram profundamente.
    Um grande abraço e prazer te conhecer!!!

    ResponderExcluir

Oiê, ao deixar sua mensagem coloque o endereço do seu blog, assim poderei lhe fazer uma visitinha =).
Beijos com asas,
Ely